Autismo em Crianças

4 minutos para ler

É possível observar sintomas?

O Transtorno do Espectro Autismo (TEA) é uma síndrome que causa alterações na capacidade de comunicação, interação social e comportamento, e que provoca sinais e sintomas como dificuldades na fala, bloqueios na forma de expressar ideias e sentimentos, assim como comportamentos incomuns.

Segundo dados divulgados pela Organização Pan-Americana de Saúde, uma em cada 160 crianças tem TEA, ou transtorno do espectro autista. Essa patologia inicia-se na infância, geralmente até os primeiros cinco anos de vida, e tende a persistir na adolescência e na vida adulta.

Nem sempre é fácil identificar, uma vez que em muitos casos leves, os sintomas são extremamente sutis. Os primeiros sinais e sintomas do autismo podem ser identificados, geralmente, por volta dos 2 e 3 anos de idade – período em que a criança tem uma maior interação com as pessoas e o ambiente.

Principais sintomas:

Dificuldade na interação social

· Dificuldade de se relacionar com outras crianças, preferindo ficar sozinho;

· Não gosta de carinho ou afeto e por isso não se deixar abraçar ou beijar;

· Não olha nos olhos ou evita olhar nos olhos, mesmo quando alguém fala com a criança, estando bem próximo;

· Repete sempre as mesmas coisas, brinca sempre com os mesmos brinquedos.

· Risos e gargalhadas inadequadas ou fora de hora, como durante um velório ou uma cerimônia de casamento ou batizado, por exemplo.

Dificuldade de comunicação

· A criança sabe falar, mas prefere não falar nada e mantém-se calada por horas, mesmo quando lhe fazem perguntas;

· Mantém sempre a mesma expressão no rosto e não entende gestos e expressões faciais de outras pessoas;

· Não responde quando é chamado pelo nome, como se não estivesse ouvindo nada;

· Repete a pergunta que lhe foi feita várias vezes seguidas sem se importar se está chateando os outros.

Alterações comportamentais

· A criança não tem medo de situação perigosas,

· Aparentemente não sente dor e parece gostar de se machucar ou de machucar os outros de propósito;

· Brinca somente com uma parte de um brinquedo, como a roda do carrinho, por exemplo, e fica constantemente olhando e mexendo nela;

· Dificuldade para se adaptar a uma nova rotina ficando agitado, podendo se autoagredir ou agredir os outros;

· Fica extremamente agitado quando está em público ou em ambientes barulhentos;

· Fica passando a mão em objetos ou tem fixação por água;

· Fica se balançando para frente e para trás por vários minutos ou horas ou torce as mãos ou os dedos constantemente;

· Leva o braço de outra pessoa para pegar o objeto que ela deseja;

· Olha sempre na mesma direção como se estivesse parado no tempo;

· Tem brincadeiras estranhas, dando funções diferentes aos brinquedos que possui.

Na suspeita destes sintomas, é indicado fazer uma consulta com pediatra e psiquiatra/psicólogo infantil, ou ainda, com profissionais especialistas na área, que poderão fazer uma avaliação mais minuciosa de cada caso, e confirmar se é autismo ou se pode ser alguma outra doença ou condição psicológica, ou, ainda, descartando qualquer distúrbio.

Tratamento

O tratamento do autismo varia de uma criança para outra porque há níveis diferentes do mesmo. De forma geral, é necessário recorrer a diversos

profissionais de saúde como médicos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas e psicopedagogos, sendo muito importante o apoio familiar para que os exercícios sejam realizados diariamente, melhorando assim as capacidades da criança.

Este tratamento deve ser seguido por toda a vida e deve ser reavaliado a cada seis meses para que possa ser adequado às necessidades da família.

Posts relacionados