Enfermagem forense: por que se especializar na área

6 minutos para ler

Já ouviu falar em enfermagem forense? A especialização ainda é relativamente nova no Brasil, mas tem se destacado em países como Portugal, Estados Unidos e Japão há algum tempo. De qualquer forma, a área chama a atenção pela similaridade com filmes e séries, que têm o apoio da perícia para investigar e solucionar crimes.

A especialidade ganhou reconhecimento do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) em 2011. Em síntese, une atribuições da enfermagem convencional a aspectos forenses. Por isso, é voltada à assistência de vítimas de algum tipo de violência e dos agressores, com o intuito de ajudar com traumas físicos, psicológicos ou sociais. 

Tem interesse em seguir carreira como perito criminal? Confira todas as informações que reunimos, desde o que o profissional faz e em que áreas pode atuar até a média salarial e o mercado da enfermagem forense. Boa leitura! 

O que é a Enfermagem Forense?

O trabalho de um enfermeiro passa por todas as etapas de atendimento, da atenção básica até a emergência. Quando falamos em enfermagem forense, a especialidade une a ciência da enfermagem a questões judiciais para o cuidado humanizado com a saúde. 

O profissional deve ter conhecimento sobre legislação e Direito, além de estar apto a recolher provas e prestar depoimentos em tribunais. A principal tarefa é dar acolhimento às vítimas dos mais variados tipos de violência, bem como aos seus familiares e também aos agressores, inclusive em casos de desastres de massa. 

Vale destacar que trabalho do enfermeiro perito criminal envolve uma área multidisciplinar. Isso significa que ele vai se juntar a biólogos, químicos, físicos, engenheiros, entre outras formações, a fim de contribuir com a Justiça.

Quais são as funções do profissional da área?

Dentro da enfermagem forense, há diversos campos de atuação. Desde os cuidados com a saúde emocional de vítimas de abusos sexuais, maus tratos ou violência doméstica, bem como familiares e agressores, até investigações relacionadas a mortes ou consultoria. 

O profissional também pode trabalhar no sistema carcerário, no Instituto Médico Legal (IML), na Delegacia da Mulher, em Conselhos Tutelares, entre outras áreas correlatas. Em casos de desastres de massa, pode atuar com ações humanitárias. Vamos exemplificar a seguir algumas das principais funções em cada área:

  • Sistema carcerário: enfermagem forense carcerária;
  • Instituto Médico Legal: análise de lesões, procedimentos de autópsia, investigações clínicas de mortes, elaboração de laudos, além do suporte às famílias das vítimas;
  • Delegacia da Mulher: apoio psicológico às vítimas de violência sexual ou doméstica, agendamento de exumações;
  • Conselhos Tutelares: acompanhamento de crianças vítimas de violência sexual ou maus tratos, coleta de material, auxílio a médicos e peritos.

Essa é apenas uma amostra, já que o enfermeiro perito criminal também pode trabalhar em órgãos como a Polícia Federal ou a Polícia Rodoviária, além de participar de concursos públicos ou buscar carreira na iniciativa privada dentro do ramo hospitalar.

Quais as vantagens de se especializar em Enfermagem forense?

Como qualquer profissão, contar com uma especialização é um grande diferencial, já que é uma forma de aprofundar o conhecimento. Quando falamos especificamente de enfermagem, os campos de atuação podem ser muito amplos. Inclusive, para quem deseja atuar com auditoria em enfermagem.

O primeiro passo para ingressar na área é por meio da graduação em enfermagem, que abre espaço para as experiências práticas. Depois de se formar, é preciso fazer um cadastro no Conselho Regional de Enfermagem (Coren) do seu Estado.

Uma graduação na área da saúde é a base, mas para trabalhar com uma especialidade tão específica como a enfermagem forense o mais indicado é contar com um aprofundamento. Afinal, estamos falando de vítimas de violência. Seja qual for o tipo, são casos delicados e que vão exigir todo o preparo disponível para viabilizar uma assistência especializada. 

Por isso, a pós-graduação em enfermagem é o caminho para qualificar os profissionais em um mercado que tende a crescer. Embora ainda não seja obrigatória para a área forense, a especialização será o diferencial na hora da seleção.

Qual o salário médio do enfermeiro forense?

Assim como em outras profissões, o salário varia de acordo com os tipos de enfermagem, e com a qualificação de cada profissional, experiência, entre outros quesitos. Aliás, essa é mais uma vantagem de se especializar em enfermagem forense.

Um dos campos que promete salários mais altos na área é na Polícia Técnica ou Científica, já que o Brasil ainda é carente de profissionais especializados. Assim como a remuneração, as exigências tendem a ser maiores. Os valores podem começar em R$9 mil, com chances de evoluir para R$17 mil.

Como está o mercado na área de enfermagem forense?

Apesar de ainda dar os primeiros passos no Brasil, a enfermagem forense é amplamente aplicada em outros países. Por isso, não deve demorar para começar a evoluir por aqui também. E como o mercado de enfermagem brasileiro tem carência de profissionais especializados na área, a carreira tende a ganhar mais valorização. Além disso, vale lembrar que o enfermeiro perito criminal pode atuar em diferentes áreas:

  • apoio às vítimas dos mais variados tipos de violência, a familiares e agressores;
  • coleta de evidências em cenas de crimes e elaboração de laudos;
  • análise de lesões e procedimentos de autópsia;
  • testemunho em tribunais e enfermagem forense carcerária;
  • ações humanitárias, reabilitação criminal e programas de prevenção da violência.

É importante buscar atualização constante, já que leis e protocolos sempre passam por mudanças ao longo do tempo, assim como inovações, que podem ser desenvolvidas para auxiliar a profissão. A educação continuada pode ser feita por meio da participação em seminários, cursos ou workshops.

Por se tratar de um mercado relativamente novo no Brasil, a tendência é que a demanda por profissionais de enfermagem forense aumente bastante nos próximos anos, principalmente se levarmos em conta os altos índices de violência no país. Agora é o melhor momento para buscar especialização e se preparar. Afinal, apesar de estar aberta a todos os enfermeiros, a área exige conhecimento maior e preparo psicológico. 

O que achou dessa nova área da enfermagem? Para mais informações sobre os cursos que temos na área da saúde, entre em contato com a nossa equipe.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.