Enfermagem Neonatal e Pediátrica

4 minutos para ler

Trabalhar com recém-nascidos e crianças requer cuidados especiais, afinal eles são frágeis e estão em um estágio muito vulnerável da vida e por estarem em desenvolvimento precisam de cuidados específicos para garantir que cresçam de maneira saudável. Por este motivo, esse público requer atendimento de profissionais da saúde especializados para a área, uma delas é a Enfermagem Neonatal e Pediátrica, que é dedicada a restabelecer a saúde de pacientes com idade inferior a 18 anos.

O enfermeiro Neonatal faz toda diferença no manejo com o recém-nascido, pois esses profissionais são responsáveis pelo cuidado com a adaptação familiar e formação do vínculo entre os pais e a criança, bem como a administração junto as necessidades de cada paciente.

Desse modo, o enfermeiro encontra-se na condição de promotor do cuidado infantil, ampliando seu potencial de crescimento e desenvolvimento.

As funções dos enfermeiros Neonatal e Pediátrico estão relacionadas a atuação em procedimentos de alta complexidade, com o objetivo de realizar a manutenção da vida, acompanhar e avaliar o crescimento e desenvolvimento dos neonatos e crianças.

Áreas de atuação

O enfermeiro Neonatal e Pediátrico possui um leque de atuação muito grande, e pode estar presente em creches, escolas e em unidades assistenciais de saúde como clínicas e hospitais.

Junto aos hospitais, o profissional trabalha em setores que compreendem as emergências e também em setores mais complexos, tais como: salas de parto, Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) e Unidades de Cuidados Intermediários (UCI).

De modo geral, o enfermeiro deve interagir com o paciente e deixar a família consciente sobre os procedimentos realizados. Cabe a equipe de enfermagem pediátrica assegurar o atendimento, evitar o risco de infecções e demais complicações hospitalares.

Principais atividades:

O dia a dia de um enfermeiro Neonatal e Pediátrico é cheio de tarefas e atribuições. Veja algumas das funções que eles são encarregados de fazer:

· Acompanhamento da evolução do paciente;

· Administração de medicações nos horários prescritos pela equipe médica;

· Anotação de queixas e atualização de prontuários ao longo da internação;

· Auxílio ao médico em certos procedimentos no ambiente ambulatorial;

· Higienização do paciente;

· Manutenção do ambiente com especificações térmicas e neutras;

· Monitoramento dos sinais vitais;

· Realização de curativos;

· Responsável pela interação do paciente com seus responsáveis.

Mercado de trabalho

É alta a demanda de mercado por profissionais especializados em neonatologia e pediatria e em UTI neonatal, a exigência vem crescendo em ritmo acelerado, devido aos grandes avanços tecnológicos que possibilitam os cuidados de saúde a criança e ao neonato em situações críticas.

O enfermeiro pediátrico pode atuar em qualquer lugar nos quais exista o atendimento à criança e pré-adolescente. Eles incluem:

· Abrigos e orfanatos;

· Clínicas particulares;

· Escolas e creches;

· Hospitais;

· Maternidades;

· Organizações não governamentais (ONGs);

· Unidades Básicas de Saúde (UBS).

O salário para um enfermeiro pediátrico gira em torno dos R$ 3.023 para profissionais iniciantes. E os profissionais que atuam há mais tempo recebem em média R$ 4.102 para uma jornada de 36 horas de trabalho semanais.

A Faculdade Inspirar oferece uma Pós-graduação na área, que visa essencialmente, capacitar enfermeiros e atualizar seus conhecimentos específicos necessários para a prestação da assistência de Enfermagem na área neonatal e pediátrica. Para mais informações acesse: https://www.inspirar.com.br/enfermagem-em-neonatologia-e-pediatria

Posts relacionados