FAKE NEWS

3 minutos para ler

Receita caseira de álcool gel, remédios proibidos pra casos suspeitos… O que é verdade e o que é mentira nisso tudo?

É muita informação – somos bombardeados o tempo todo com notícias (verdadeiras e falsas) a respeito do Coronavírus. A Faculdade Inspirar esclarece e alerta: cuidado com as fake news!

Álcool gel e receitas caseiras.

FAKE

Segundo Maurício José Fernandes, biólogo com atuação na área de Virologia e Imunologia, não é aconselhável uma receita caseira. “O álcool gel tem que ser fabricado para uma concentração de 70% utilizando um cálculo para garantir uma concentração adequada. Na formulação também é utilizado um espessante para aumentar a viscosidade na quantidade correta e um emoliente para retardar a evaporação do álcool e diminuição do ressecamento da pele. Deve-se comprar sempre o produto comercial pois este já é produzido corretamente”.

Remédios proibidos e indicados.

VERDADEIRO

“Não utilizar remédios como PREDNISONA ou DEXAMETASONA. Proibido a utilização de CORTICÓIDES. Em relação a medicamento à base de IBUPROFENO, ainda são especulações – estão sendo realizados estudos. Então, por enquanto, melhor não usar. Para febre pode utilizar o PARACETAMOL. Para utilização de qualquer outro medicamento deve-se consultar um médico”.

Recomendações Verdadeiras:

· Lavar as mãos com água e sabão no mínimo de 30 segundos ou utilizar álcool gel;

· Evitar ambientes com aglomeração e não compartilhar objetos pessoais;

· Cubra nariz e boca ao espirrar e ao tossir;

· Procurar não tocar em olhos, nariz e boca;

· Utilizar máscara se estiver doente ou tiver contato domiciliar com doentes. Os profissionais de saúde devem utilizá-la;

· Evitar apertos de mão, não compartilhar alimentos e bebidas;

· Aumentar a distância social, evitando a exposição a lugares lotados;

· Idosos e doentes crônicos não devem frequentar lugares de grandes aglomerações, como cinemas, teatros, shoppings ou mesmo planejar viagens;

· Se possível, mudar rotina no transporte público;

· Preferir exercícios ao ar livre. Academias podem estimular horários alternativos e reforçar higiene de seus equipamentos;

· Quem usa medicamentos contínuos deve pedir prescrições com validade mais prolongada, para evitar ter que ir a uma unidade de saúde no período entre o outono e o inverno;

· Preferir compras fora de horário de pico;

· Não procurar se auto medicar – sempre consultar um médico.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.