Farmácia clínica: entenda as possibilidades dessa pós-graduação!

7 minutos para ler

O mercado farmacêutico conta com inúmeras possibilidades de carreira. Uma delas vem com a pós-graduação em farmácia clínica. A área começou a se desenvolver na década de 70, em hospitais dos Estados Unidos até se expandir a ponto de abarcar todos os níveis de cuidados com a saúde. 

A especialização que acumula atribuições clínicas tem amplo alcance. Pode ser desenvolvida em hospitais, ambulatórios, unidades de atenção básica à saúde, farmácias, instituições de longa permanência, no atendimento em domicílio, entre outros.

No Brasil, a maior parte dos profissionais da área ainda atua somente com a liberação de medicamentos mediante receitas médicas. Quer saber mais sobre a profissão que tende a crescer e gerar novos postos de trabalho? Continue a leitura e veja como se especializar.

O que é farmácia clínica?

Vamos começar do início! Pois quem quer seguir carreira em farmácia, antes de tudo, precisa buscar uma graduação. Então, o que é farmácia clínica? Trata-se de uma pós-graduação, que nada mais é do que uma prática farmacêutica com o propósito de promover o uso apropriado de medicamentos e produtos para a saúde.

Em 2014, algumas farmácias brasileiras passaram a contar com um espaço destinado ao atendimento de pacientes, chamado de consultório farmacêutico. Dessa forma, os profissionais com especialização em farmácia clínica podem:

  • orientar sobre o uso correto dos remédios prescritos;
  • ouvir o paciente, conversar sobre sintomas e avaliar sua evolução clínica, bem como o conjunto de medicamentos, dosagem, horários e efeitos colaterais;
  • entrar em contato com médicos para falar sobre o tratamento e emitir um parecer farmacêutico;
  • encaminhar o paciente para atendimento com profissionais da saúde ou pedir exames laboratoriais, além de medir pressão e temperatura;
  • registrar ações de prontuário;
  • indicar medicamentos com isenção de prescrição médica.

De acordo com o Conselho Federal de Farmácia (CFF), o país contabiliza cerca de 1,5 mil consultórios farmacêuticos, diante de 80 mil farmácias comerciais. Os números mostram que o mercado tem potencial para crescer, e muito, nos próximos anos.

Não apenas os números, mas também dados como o envelhecimento da população e o desenvolvimento de doenças crônicas. Ambos os cenários indicam um consumo cada vez maior de remédios, ou seja, farmácias e profissionais preparados para atender à demanda.

Quais são os objetivos principais dessa formação?

O curso de farmácia prepara o aluno para trabalhar com medicamentos, cosméticos, produção e análise de alimentos ou avaliações clínicas e toxicológicas. Depois de buscar o registro profissional no Conselho Regional de Farmácia (CRF), o farmacêutico pode escolher uma especialização para seguir carreira.

Entre as possibilidades, há a farmácia clínica, que vem ganhando destaque desde a lei 13.021/2014, que regula as atividades farmacêuticas. Além de garantir a presença de um profissional formado nas farmácias, a legislação enquadra o estabelecimento na área da saúde. Vale destacar que o farmacêutico clínico pode fazer acompanhamento e revisão da farmacoterapia, bem como conciliação terapêutica.

A formação tem como objetivo incentivar o desenvolvimento de um perfil multidisciplinar, comunicativo, com empatia e capaz de aconselhar, tomar decisões e interagir com os pacientes. Quando falamos em conhecimento técnico, a farmácia clínica estuda: fisiologia humana; patologias; farmacologia e farmacoterapia. Além de:

  • capacidade para resolver problemas e gerenciar conflitos;
  • compreensão de termos médicos e do prontuário;
  • conhecimento de fisiopatologia e da farmacoterapia para um manuseio mais eficiente dos medicamentos, bem como para orientações do uso adequado de cada um deles;
  • interpretação de exames laboratoriais e comunicação efetiva com pacientes e profissionais da saúde.

Em quais áreas um farmacêutico clínico pode atuar?

Seguir carreira em farmácia clínica abre um universo de possibilidades. Isso porque, além das farmácias em geral e drogarias, a profissão se estende até clínicas, hospitais (públicos, privados e filantrópicos), ambulatórios, unidades de atenção básica à saúde, instituições de longa permanência, no atendimento em domicílio, entre outros.

O trabalho do farmacêutico clínico em farmácias e drogarias, por exemplo, é orientar os pacientes sobre o uso de medicamentos comercializados nos estabelecimentos. Já em hospitais, o profissional atua com médicos, enfermeiros e técnicos na organização dos remédios para pacientes internados. O mercado também tem opções de carreira em áreas mais diversas: 

  • indústria de alimentos para controle de qualidade (farmácia bromatologista);
  • balcão de farmácias com a venda de medicamentos e outros produtos;
  • área de estética (cosmetologia) para o desenvolvimento de cosméticos;
  • produção de medicamentos, desde o controle de qualidade até auditoria sanitária e orientação aos atendentes do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC).

Como está o mercado para a área?

É bem comum entre os estudantes de farmácia chegar à faculdade com um objetivo e terminar a graduação com outro. Afinal, a área da saúde é muito ampla e oferece diversas possibilidades de carreira. O direcionamento também segue os movimentos no mercado, como podemos observar com a especialização em farmácia clínica.

Desde 2014, a profissão vem ganhando valorização com a abertura dos consultórios farmacêuticos e com a oportunidade de atuar nos mais diferentes estabelecimentos de saúde, como mostramos no tópico sobre as áreas de atuação.

Vale também ressaltar que, apesar de a economia mostrar sinais de recuperação ainda lentos, o mercado farmacêutico é um dos menos impactados. E não é para menos, já que a saúde é sempre uma prioridade para as pessoas, os profissionais da área e o poder público.

A preocupação com o bem-estar, a adoção de hábitos mais saudáveis e a prática de exercícios físicos têm ganhado relevância na vida das pessoas. Sem contar a procura por cosméticos, atrelada aos cuidados pessoais, tema que está sempre em destaque entre os brasileiros. Isso também deve impactar o mercado de forma positiva.

O que está contemplado em um curso de farmácia clínica?

O curso de farmácia clínica tem como principal objetivo formar profissionais preparados para lidar com a atenção ao paciente, ao mesmo tempo em que dá ênfase à farmacoterapia. De forma resumida, a formação visa repassar orientações sobre o uso adequado e seguro dos medicamentos, bem como coleta e interpretação de exames. No currículo da Faculdade Inspirar, os futuros farmacêuticos estudam:

  • fisiopatologia e farmacoterapia dos sistemas;
  • toxicologia clínica;
  • autocuidado e orientações farmacêuticas;
  • legislação farmacêutica e sanitária;
  • boas práticas de dispensação e gestão comercial;
  • fundamentos metodológicos e intervenções farmacêuticas;
  • farmacoepidemiologia e farmacovigilância;
  • interações medicamentosas;
  • atividades práticas supervisionadas;
  • farmacologia clínica e terapêutica;
  • boas práticas de prescrição farmacêutica.

Esta é apenas uma parte dos conhecimentos repassados na especialização em farmácia clínica da Faculdade Inspirar. Escolher uma pós-graduação vai muito além de focar em uma área do mercado para se destacar — é a oportunidade de aprender mais sobre a área da saúde e aprofundar os conhecimentos. 

Como vimos até aqui, com o envelhecimento da população e uma preocupação cada vez maior com o bem-estar, a farmácia clínica tem um cenário promissor pela frente. A área é valorizada tanto pelo mercado de trabalho quanto pelos profissionais da saúde e pelos próprios pacientes. Afinal, é sempre bom poder contar com orientações na hora de usar medicamentos.

O que achou da especialização? Entre em contato com a gente e venha estudar na Faculdade Inspirar!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.