Fisioterapia esportiva: conheça essa área de atuação

16 minutos para ler

Para quem quer encontrar as melhores oportunidades no mercado e ter mais chances de conseguir as vagas, a atualização profissional deve ser uma prioridade na carreira. Por mais complicado que seja conciliar estudos e trabalho, buscar uma especialização pode ser uma boa saída. Na área da saúde a Fisioterapia Esportiva está em alta.

Se você está em busca de cargos melhores e uma valorização financeira, um caminho é apostar em setores que estão em alta dentro do mercado em que você atua. Assim surge a possibilidade de trabalhar na área esportiva, aproveitando a demanda cada vez maior de pessoas interessadas em praticar atividades físicas.

Conseguir se especializar no assunto é uma forma eficaz de encontrar um diferencial competitivo para o seu currículo, aprimorando as suas capacidades na rotina de trabalho e, é claro, abrindo novas oportunidades e vagas. Que tal, então, se aprofundar no crescimento dessa área de atuação? Continue a leitura deste artigo e confira!

O que é a Fisioterapia Esportiva?

Antes de saber se uma especialização na área pode ser importante para o seu currículo ou não, é preciso entender o que a Fisioterapia Esportiva — que também pode ser chamada de Fisioterapia Desportiva — é uma especialidade focada em ações específicas para atletas, profissionais ou não, na busca por tratamento ou pela prevenção de lesões e/ou traumatismos.

O objetivo final é garantir que o atleta tenha um rendimento satisfatório e consiga praticar suas atividades físicas da forma mais saudável possível — em alguns casos, ainda possa aprimorar o seu desempenho. Como isso pode ser feito? Conhecendo profundamente o corpo do paciente e tomando os cuidados específicos para cada caso.

No esporte profissional, por exemplo, independente da modalidade, essa é uma função altamente requisitada — contando com pelo menos um profissional responsável. A competitividade também é alta no esporte, e todos querem tirar o máximo de seus atletas.

A partir do acompanhamento do desempenho e da evolução de cada esportista, é possível descobrir quais exercícios são os mais indicados para cada um, evitando lesões e potencializando o rendimento. Além disso, a Fisioterapia Esportiva é muito utilizada para o tratamento de lesões, trabalhando no processo de recuperação do corpo.

Quando falamos no ambiente profissional e de alto nível, a exigência em relação a quem ocupa esse cargo é ainda maior, afinal, é preciso conciliar a recuperação com a menor perda possível de rendimento. Essa é uma área repleta de desafios e diferentes atuações, que não se limita aos atletas de alto rendimento e performance.

Nos últimos anos, o número de atletas semiprofissionais aumentou muito, fazendo com que a busca por profissionais que possam ajudá-los a conquistar melhores resultados ou oferecer tratamentos mais eficientes para a recuperação também cresceu. As oportunidades, portanto, são muitas para quem decide trabalhar com Fisioterapia Esportiva.

Trabalhando próximo à Medicina Esportiva, o profissional que atua nessa área precisa dominar, por exemplo, a anatomia e a fisiologia, bem como a forma como ela impacta o nosso corpo. Se você quer expandir as suas possibilidades de atuação, a Fisioterapia Esportiva é um caminho extremamente válido.

Quais são os tratamentos utilizados nessa prática?

Uma das razões para o aumento da importância da Fisioterapia Esportiva no cenário atual é a variedade de tratamentos possíveis de serem aplicados. Sendo assim, pode-se identificar as melhores soluções para cada paciente, garantindo o tratamento mais eficiente para a recuperação de uma lesão ou para a melhora do rendimento.

Para que você entenda um pouco melhor como pode ser a rotina de trabalho de um profissional que atua na Fisioterapia Esportiva, separamos alguns dos tratamentos mais comuns e eficientes no trabalho de prevenção e no tratamento de luxações, entorses, tendinites e outras lesões. Confira!

Terapia Manual

Um dos métodos mais tradicionais de tratamento na fisioterapia — e não é diferente quando levamos para o esporte — é a terapia manual. O objetivo é solucionar um incômodo, fortalecer uma região, corrigir desequilíbrios posturais e biomecânicos ou entender a relação entre a lesão e um músculo por meio de técnicas manuais específicas.

Terapia Funcional

Esse método é utilizado para facilitar o entendimento e a consciência corporal do paciente, permitindo que ele consiga lidar melhor com a relação entre a mente e o corpo. A partir de exercícios de baixo impacto e menor intensidade, é possível corrigir problemas de postura ou auxiliar no tratamento de lesões e/ou traumatismos.

Eletroterapia

Aplicando correntes elétricas no corpo, é possível fortalecer ou relaxar os músculos, reduzir edemas e até mesmo fornecer um efeito analgésico. Existem diversos tipos de aplicação dentro desse método, cada um de acordo com a situação e o objetivo do paciente, mas sempre produzindo um efeito na região a ser tratada.

Massoterapia

Melhora do fluxo sanguíneo, relaxamento muscular e até mesmo o alívio das dores após uma atividade física são os principais objetivos da massoterapia dentro da Fisioterapia Esportiva. Esse é um tipo de massagem que tem um foco maior do que apenas o relaxamento, podendo prevenir lesões e aliviar dores musculares.

Além desses 4 métodos de trabalho dentro da Fisioterapia Esportiva, outras técnicas e práticas são muito eficientes na busca pela prevenção e pela recuperação de lesões:

  • biofeedback de EMG;
  • estabilização segmentar;
  • bandagens funcionais;
  • musculação;
  • pilates;
  • eletromiografia;
  • cinesioterapia.

É preciso lembrar que cada um desses métodos tem um objetivo e uma utilização específica, com diferentes abordagens para a solução de um problema. Por isso, é importante sempre levar em consideração a estrutura disponível no seu ambiente de trabalho e, ainda mais fundamental, o perfil de cada um dos seus pacientes.

Qual é a situação atual do mercado para o Fisioterapeuta Esportivo?

Outro ponto importante e que precisa ser compreendido antes de encontrar uma área ou um assunto para se especializar é o mercado no momento. No caso da Fisioterapia Esportiva não existe hora mais propícia para investir em uma carreira e/ou especialização na área do que agora — um momento marcado pela conscientização da população.

De acordo com a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) do Ministério da Saúde, a prática regular de atividades físicas contribui diretamente para a redução de mortes por doenças crônicas no Brasil. Mais consciente, o brasileiro percebeu que era hora de mudar.

Não à toa: o número de praticantes de atividades físicas aumentou consideravelmente nos últimos anos. O mesmo estudo indica um crescimento de 24,1% na quantidade de praticantes de exercícios no intervalo de uma década — entre 2006 e 2017. Soma-se a isso o incentivo gerado pela Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos.

Na prática, mais pessoas estão interessadas e dispostas a se exercitarem, o que é bom para a saúde e, é claro, para quem trabalha na área. Isso significa mais clientes em potencial para quem se especializou em Fisioterapia Desportiva. Como mostramos acima, não é só do ambiente profissional e de alto rendimento que esse profissional vive.

Possibilidades de atuação

As possibilidades de atuação são as mais diversas, permitindo que você escolha trabalhar na área em que mais se sente à vontade. Geralmente o profissional acaba escolhendo um esporte específico para segmentar ainda mais a sua atuação, tornando-se um especialista em fisioterapia para atletas de determinada modalidade — clubes e equipes profissionais, federações e confederações esportivas, academias, clínicas e até mesmo atendimento pessoal.

Além disso, é possível se reunir com outros profissionais de diferentes setores e montar uma equipe multidisciplinar. A ideia é unir diferentes conceitos, estratégias e abordagens na busca por um tratamento mais eficiente.

As equipes são compostas por nutricionistas, médicos, fisioterapeutas, enfermeiros e qualquer profissional da saúde que possa ser útil na busca por tratamentos mais precisos. Juntando esses conhecimentos, é possível tirar o máximo de cada atleta, trabalhando em todas as frentes para garantir uma recuperação mais rápida e/ou a prevenção de lesões.

Em tempos marcados pela necessidade de resultados mais rápidos e um tratamento que não foque apenas na região da lesão, uma equipe multidisciplinar pode ser uma alternativa excelente para se encaixar no mercado de trabalho. Ao oferecer mais segurança aos pacientes, você acaba investindo em um diferencial competitivo para a sua carreira.

Essas são algumas das principais possibilidades de atuação para quem decide se especializar em Fisioterapia Esportiva. De acordo com os objetivos e as metas para a carreira profissional, quem trabalha na área lida com uma ampla gama de opções, que abraçam diferentes perfis profissionais na busca por melhores tratamentos e métodos.

Perfil profissional da área

Além disso, é importante saber qual o perfil profissional de quem já atua na área da Fisioterapia Esportiva. Assim, você pode conhecer mais sobre o que o mercado procura e, é claro, como encontrar diferenciais competitivos para que você se destaque aos olhos de recrutadores e possíveis interessados no seu currículo profissional.

Segundo informações da Catho, 95% dos profissionais que atuam na área são graduados em Fisioterapia e 75% deles já realizaram uma pós-graduação. Um ponto a ser destacado e que pode ser explorado é o domínio de outros idiomas.

O mesmo levantamento indica que apenas 33% dos fisioterapeutas esportivos têm inglês intermediário. Sendo assim, fazer um curso para aprender outra língua ou fortalecer o idioma que você já conhece pode ser um diferencial para que você abra novas oportunidades e possíveis cargos no mercado de trabalho.

Por falar em perfil, o mercado busca nessa área os profissionais que sabem lidar com a pressão de entregar resultados positivos no trabalho de recuperação e rendimento — muitas vezes ao mesmo tempo ou no menor espaço possível. O cuidado com o atleta é um pouco diferente, já que você não pode reduzir a importância de nenhum dos dois trabalhos.

Além disso, é preciso estar constantemente em busca de novas informações, procedimentos e técnicas a serem aplicadas, afinal, a medicina esportiva evoluiu bastante nos últimos anos, e os profissionais do setor precisam estar atentos para encontrar os métodos mais eficazes na busca pelos objetivos de cada paciente.

O paciente também costuma ser mais exigente, sempre na busca por uma melhora no seu rendimento — seja na redução do número de lesões, seja em uma recuperação mais rápida —, e o profissional da Fisioterapia Esportiva precisa saber lidar com essa pressão. Aliar conhecimento e produtividade para oferecer um trabalho, de fato, efetivo.

Média salarial

Um dos motivos para aprimorar o currículo é a valorização financeira, certo? É claro que outras razões contribuem para que você procure se especializar na área da saúde, como a maior oferta de vagas ou até mesmo oportunidades de vagas mais interessantes para a sua carreira profissional. A parte financeira, porém, também é importante.

De acordo com o site de empregos Catho, a média salarial de quem acabou de se formar é de pouco mais de R$ 1.700, com variações por conta da região do Brasil e, é claro, da experiência do profissional. O Sine (Site Nacional de Empregos) indica, por exemplo, que é possível ganhar cerca de R$ 2.800 nas mesmas condições.

As possibilidades de crescimento, porém, são muitas, tornando possível se valorizar profissionalmente ao especializar o seu trabalho. Com outros cursos e especializações, você consegue encontrar diferentes oportunidades de emprego e pode almejar cargos ainda mais altos, até mesmo como gestor ou coordenador do setor.

Caso seja do seu interesse, você pode investir em outras especializações, como uma pós-graduação em Biomecânica e Fisiologia aplicadas ao Exercício Físico ou em Nutrição, ampliando os seus conhecimentos e as possibilidades de atuação. Quanto mais diferenciais, maiores são as suas chances de se destacar no mercado.

O mercado de trabalho da Fisioterapia vive um momento de alta, com mais praticantes — clientes em potencial. Por isso é possível se encaixar no setor esportivo com mais facilidade, permitindo que o profissional da área possa escolher a função que mais lhe agrada.

Quais são os principais benefícios de atuar com Fisioterapia Esportiva?

A Fisioterapia Esportiva oferece outros benefícios ao profissional que decide atuar nesse setor. Essas vantagens não estão somente ligadas ao salário, aos cargos ou às oportunidades, mas também ao dia a dia de trabalho e o que pode ser feito na relação com o paciente.

A principal vantagem é a possibilidade de atuar em todos os níveis de atenção do atleta, ou seja, você não precisa lidar apenas com a recuperação ou a prevenção: é possível fazer um trabalho muito mais completo. Ao estudar a fundo cada um dos seus clientes, você vai ser capaz de traçar os tratamentos e as técnicas que podem funcionar com ele.

Em seguida, você tem a liberdade para trabalhar em diferentes áreas na busca pelo objetivo traçado pelo paciente. Vamos supor que ele tenha chegado ao seu consultório por conta de uma lesão. O seu trabalho não vai se resumir ao tratamento desse problema, mas à prevenção e, é claro, ao aprimoramento do rendimento do atleta.

O trabalho do Fisioterapeuta Esportivo também é encontrar os melhores exercícios e as práticas para cada um dos seus pacientes, guiando a pessoa para a prática de atividades que potencializem o seu desempenho e, é claro, ajudem no trabalho de prevenção de lesões.

A Fisioterapia Esportiva oferece mais liberdade ao profissional que deseja atuar na área, podendo escolher diferentes esportes, modalidades, metodologias de trabalho ou até mesmo público-alvo para oferecer os seus serviços. Tudo isso contribui diretamente para a sua satisfação profissional e aumenta as suas chances de encontrar as vagas mais interessantes.

Quais são as formas de se tornar um especialista no assunto?

Se você gostou das possibilidades que o mercado de trabalho para a Fisioterapia Esportiva tem a oferecer, é hora de procurar um caminho para se especializar e atuar na área, certo? O primeiro passo é realizar uma graduação em Fisioterapia, um curso que dura entre 4 e 5 anos.

Em seguida, a melhor opção é se matricular em uma pós-graduação em Fisioterapia que atenda aos requisitos que você procura.

Antes de definir a pós-graduação, algumas perguntas precisam ser respondidas, pensando principalmente no seu perfil de trabalho e o que você quer para o seu futuro profissional. Conhecer a estrutura da instituição, por exemplo, pode ser importante, mas e as aulas práticas? Como são feitas? Analisar o corpo docente também é fundamental para ter uma experiência positiva.

O mercado procura profissionais que estejam atualizados e que sempre encontrem maneiras de aprimorar o seu desempenho no ambiente de trabalho. Ao realizar uma pós-graduação ou um MBA no assunto, você aproveita inúmeros benefícios, entre eles o reconhecimento e a valorização por parte do mercado e dos recrutadores.

Qual é a importância de fazer uma pós-graduação?

A primeira vantagem de fazer uma pós-graduação é o conhecimento: você vai se especializar em um assunto, aprendendo o máximo de informações sobre determinado setor, dominando a área e podendo atuar com uma desenvoltura melhor. Além disso, uma especialização aumenta as suas chances de conseguir uma vaga por conta do reconhecimento do seu valor.

Por melhor que tenha sido a sua graduação, muitos conceitos já foram alterados, novas metodologias são testadas e implementadas, e há diversos pontos de aprendizado que você pode aproveitar. Atualizar-se também é parte importante para que você consiga destacar o seu currículo ao realizar um trabalho mais produtivo e eficiente no seu dia a dia.

Outra questão primordial ao realizar uma pós é o networking. Sim, conhecer mais pessoas pode aumentar as suas chances de conseguir uma nova vaga ou um cargo que esteja mais de acordo com o seu perfil profissional. Isso acontece porque você vai ter contato com profissionais de diferentes setores e origens, fornecendo diferentes opções de vaga, por exemplo.

Além disso, você pode se juntar a outros estudantes do curso na busca por um emprego. Em uma pós-graduação de Fisioterapia Esportiva você vai lidar com profissionais de diferentes setores. Quem sabe você não monta a sua própria equipe multidisciplinar e cria um verdadeiro diferencial competitivo?

Por fim, você consegue descobrir com mais facilidade o que pode destacar o seu currículo dos outros. Sendo assim, na hora de se candidatar às melhores vagas disponíveis no mercado, você vai saber exatamente qual é o seu diferencial competitivo, chamando a atenção dos recrutadores pelo que de melhor você sabe fazer.

A Fisioterapia Esportiva é uma excelente opção para quem quer criar um plano de carreira e conseguir melhores vagas. Além de ser uma área em expansão no país, o mercado valoriza cada vez mais o profissional que exerce essa função e ainda possibilita diversas opções de atuação, aumentando as suas chances de sucesso profissional.

Escolhendo a instituição de ensino adequada para o seu perfil e de acordo com as suas preferências, é possível se especializar no assunto e desenvolver uma carreira sólida na área da Fisioterapia Desportiva. Aproveite o networking e as diversas opções de atuação no setor para criar uma carreira profissional de sucesso!

Gostou deste conteúdo? Conseguimos tirar as suas dúvidas sobre a Fisioterapia Esportiva? Esperamos que sim! Agora, que tal conferir outros artigos com dicas para a sua carreira profissional? Assine a nossa newsletter e receba os nossos conteúdos em primeira mão, diretamente na sua caixa de e-mails!

specialização em FisioterapiaPowered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.