Fisioterapia Manipulativa nas Disfunções Temporomandibulares

2 minutos para ler

A articulação Temporomandibular (ATM) é considerada a mais complexa do corpo humano. A ATM realiza movimentos rotacionais e translacionais devido à articulação dupla do côndilo do osso temporal. O fato de a ATM apresentar duas articulações (côndilos) conectadas à mandíbula exige que trabalhem de forma sincronizada entre a oclusão dental, o equilíbrio neuromuscular e a própria articulação. Essa articulação fica vulnerável a alterações funcionais ou patológicas, propiciando desarranjos como a disfunção Temporomandibular (DTM).

A DTM é definida como um conjunto de distúrbios que envolvem os músculos mastigatórios, a ATM e os segmentos adjacentes. Esses distúrbios impactam o equilíbrio dinâmico das estruturas, levando a uma série de sinais e sintomas típicos dessa disfunção. Dores na face, ATM e músculos mastigatórios e cefaleia são os principais. Outros sintomas, menos frequentes, que podem estar presentes são manifestações como zumbido e vertigem. Quanto aos sinais, encontram-se primariamente a sensibilidade muscular e da ATM à palpação, limitação e distúrbios do movimento mandibular e ruídos articulares.

Estima-se que 40 a 75% da população apresente no mínimo um sinal de DTM, como ruídos, e pelo menos um sintoma, como dor na face ou na ATM (33%).

A DTM acomete grande parte da população mundial. Esse fato faz com que seja essencial o desenvolvimento de técnicas terapêuticas para seu tratamento. A Fisioterapia contribui para amenizar os sintomas da DTM, pois estimula a propriocepção, produção do líquido sinovial na articulação e melhora a elasticidade das fibras musculares aderidas e a dor.

Dessa forma, para minimizar os efeitos causados pela DTM, a Fisioterapia se torna fundamental e parte integrante no tratamento desses pacientes.

As queixas mais comuns da DTM são dores de cabeça, na face e na cervical, clicks articulares (estalos), dores e zumbido no ouvido, fadiga muscular e dificuldade para abrir e fechar a boca. Uma prática que piora ou desencadeia esses sinais e sintomas é o bruxismo (apertar e/ou ranger os dentes). Algo importante a ser combatido. Assim sendo, o fisioterapeuta atua com técnicas

para a redução da dor e dos estalos, melhora da amplitude de movimento e realinhamento articular, e diminuição da prática do bruxismo.

Posts relacionados