Fisioterapia Neurofuncional

3 minutos para ler

Atuação e Mercado de Trabalho

A Fisioterapia Neurofuncional atua nas doenças do sistema nervoso central e periférico, tratando os distúrbios neurológicos, motores e cognitivos. O principal objetivo dessa área é diminuir as sequelas de pacientes que possuem alteração em seus movimentos, ou que apresentam paralisia em algum membro do corpo.

O recurso terapêutico é realizado com utilização da eletroestimulação, fortalecimento muscular e terapias manuais, além de simulação de movimento. Neste quesito, os avanços tecnológicos e o campo da neurociência são grandes aliados da Fisioterapia Neurofuncional, pois com o aperfeiçoamento e desenvolvimento dos métodos e recursos terapêuticos direcionados às disfunções sensoriomotoras em crianças e adultos, foram possíveis muitas evoluções no tratamento dos pacientes.

Confira algumas das doenças tratadas pela Fisioterapia Neurofuncional:

· Derrame cerebral;

· Doença de Parkinson;

· Esclerose múltipla;

· Hidrocefalia;

· Paralisia cerebral;

· Traumatismo cranioencefálico.

A atuação dos fisioterapeutas neurofuncionais é auxiliar os pacientes a desempenhar suas atividades diárias da mesma maneira como faziam antes do problema e, quando não é possível uma recuperação completa, eles tentam readaptar as tarefas para que sejam executadas de forma mais simples.

Pesquisas realizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) constataram que as doenças neurológicas são a principal causa de incapacidade no mundo, deste modo, a Fisioterapia Neurofuncional é uma das principais formas de prevenção de doenças neurológicas, além de ser o tratamento para a cura de sequelas causadas por essas doenças, e em muitos casos a especialidade exerce o papel adaptativo e paliativo (quando não há cura).

Mercado de Trabalho

A Fisioterapia Neurofuncional está na lista da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), como uma das profissões com o maior número de admissões nos últimos três anos.

Por terem grande importância no combate de doenças do sistema nervoso, esses profissionais tornaram-se indispensáveis em instituições de saúde, tais como: centros de reabilitação, hospitais, unidades de saúde, clínicas, consultórios, escolas especiais e domicílios (home care).

Como se tornar um Fisioterapeuta Neurofuncional?

O profissional precisa ser formado em Fisioterapia e possuir inscrição no Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (CREFITO) de seu estado, e é necessário fazer uma pós-graduação na área.

A Faculdade Inspirar oferece a Pós-graduação em Fisioterapia Neurofuncional – o curso tem o objetivo de ampliar o conhecimento dos profissionais com métodos e recursos fisioterapêuticos, atuando no controle do comportamento motor e na avaliação Neurofuncional e Biomecânica, capacitando os profissionais para os ensinamentos adquiridos em sala de aula.

As disciplinas do curso possibilitam que os fisioterapeutas executem o tratamento em adultos e crianças com disfunções sensoriomotoras. A grade curricular associa métodos e técnicas contemporâneas e tradicionais – dentre elas estão: tarefas orientadas, realidade virtual, marcha com suspensão parcial de peso, uso de vestimentas com tensores elásticos e terapia por contensão induzida, além de Bobath e Kabat – procedimentos que buscam trazer a aplicabilidade prática para a rotina dos profissionais.

Para mais informações sobre o curso acesse: https://bit.ly/2In8Hok

Posts relacionados

Deixe um comentário