Gestor Hospitalar

6 minutos para ler

A carência por profissionais qualificados e o impacto na Saúde

A pandemia evidenciou a defasagem na gestão da saúde brasileira e ocasionou um grande colapso em várias cidades do país. As primeiras semanas de 2021 foram marcadas pelo segundo pico de contaminação da Covid- 19 – alguns estados passaram por dificuldades na realização da compra de materiais como: medicamentos, equipamentos de proteção individual (EPI’S) e oxigênio, além do enfrentamento da escassez de profissionais qualificados para atuar nas UTI’s – fatos que provocaram a superlotação dos leitos.

Esse cenário provocou uma reflexão sobre a qualidade da gestão hospitalar brasileira, uma vez que o gestor hospitalar é a peça fundamental dentro das organizações de saúde, pois é este profissional que pensa no planejamento hospitalar, coordena e gere toda a cadeia de um hospital/clínica.

O sistema de saúde é muito complexo e envolve todos os setores que compõem uma estrutura hospitalar, desde a infraestrutura, passando pela matéria-prima e sobretudo por todos os profissionais que fazem parte dessa rede. “ A área profissional dos gestores hospitalares precisa ser composta por pessoas com competências específicas eessencialmente com conhecimento para saber gerir, liderar e ter informação suficiente para resolver questões do dia a dia hospitalar”, esclarece Rodrigo Pinheiro – professor de Gestão Hospitalar da Faculdade Inspirar.

Função da Gestão Hospitalar

A gestão hospitalar é responsável por todo o funcionamento dos estabelecimentos de saúde, desde ogerenciamento de sistemas, processos, pessoas, materiais e equipamentos. A atribuição inclui o planejamento, controle de compras e custos, supervisão de contratos e convênios, diagnóstico e solução de problemas administrativos, além do desenvolvimento, inovação e aplicação de processos nessas unidades.

O cargo compreende desde os mais simples até os mais complexos métodos, percebendo como os setores se relacionam e como é o fluxo das instituições, com o intuito de saber a capacidade da entidade de investir em mudanças tecnológicas, alterar o número de funcionários, comprar novos equipamentos e promover a melhora daorganização dos ambientes de saúde.

Dentre as principais incumbências deste profissional está o planejamento, coordenação e avaliação de ações de saúde, bem como a definição de estratégias para unidades e programas, administração de recursos financeiros e ogerenciamento humano – requisitos que o possibilitamcoordenar as interfaces de toda a saúde.

Papel do Gestor Hospitalar
O gestor hospitalar é o profissional responsável por todas as esferas de uma organização de saúde, podendo atuar na administração, gestão e liderança de sistemas de saúde públicos e privados, sendo em clínicas, laboratórios,hospitais e redes hospitalares de todos os setores.

Este profissional realiza o planejamento estratégico e o gerenciamento dos sistemas, que envolvem a logística hospitalar, gestão de materiais e insumos. Entre os conhecimentos de um bom gestor hospitalar está a percepção da realidade de trabalho, o incentivo da equipe, bem como a articulação, organização e análise financeira, para que o mesmo saiba as possibilidades da empresa e a arrecadação de recursos para a manutenção da mesma.

A falta de gestores hospitalares qualificados leva ao colapso, defasagem e precariedade dos hospitais. Não é à toa que na última década mais de dois mil hospitais em todos o país fecharam as portas. “Esses números significam que há um despreparo e falta de qualificação profissional de A a Z em todos os setores dentro do sistema da saúde”, informa Pinheiro.

Gestão Hospitalar de Qualidade

O planejamento em saúde precisa ser periodicamente aprimorado e aperfeiçoado, os instrumentos que servem de base para esse processo são os dados – no caso da pandemia são os dados epidemiológicos. Os indicadores gerados a partir dessas informações são instrumentos valiosos na gestão, podendo subsidiar ações em todos os níveis da rede de atenção à saúde. 

A professora de Gestão Hospitalar da Faculdade Inspirar,Daisy Vallim, ressalta como deve ser a gestão hospitalar de cada estado. “As intervenções de saúde devem ser oriundas das necessidades da população do território, sendo estruturadas a partir de indicadores epidemiológicos, demográficos e socioeconômicos”, afirma.

Vale ressaltar que os gestores são responsáveis pela manutenção e estruturação da cadeia em saúde, bem como a qualidade física e mental da mão de obra dos profissionais de saúde que muitas vezes se submetem àsestruturas insalubres e não denunciam. “Precisamos mudar este cenário da saúde brasileira, e o único caminho é aeducação e a capacitação é necessária para suprir uma cadeia deficitária de gestores incapacitados, muitos por falta de capacitação e corrupção”, salienta Daisy.

Estar preparado para o mercado de trabalho é essencial para se destacar, saber resolver conflitos e gerir da melhor forma possível a instituição que trabalha. Com a pandemia ficou evidente a falta que um bom gestor hospitalar faz, bem como a carência desses profissionais capacitados no mercado – um campo de trabalho importante e extremamente promissor para os próximos anos. 

A Faculdade Inspirar tem, validado pelo MEC, o melhor curso de Gestão Hospitalar do Brasil! O propósito da formação é graduar profissionais capacitados, altamenteorientados e inspirados para uma gestão hospitalar e de serviços de saúde atrelada ao desenvolvimento de competências, em nível de excelência, focado na integração dos valores humanos com o atual gerenciamento estratégico. Para mais informações sobre o curso acesse: https://bit.ly/3iAfvg6

Posts relacionados