Home Care – o serviço mais humanizado do atendimento em casa

4 minutos para ler

A assistência home care está cada vez mais comum. O termo significa literalmente “cuidados em casa”. Trata-se, portanto, de uma internação domiciliar: é a continuidade do tratamento hospitalar que passará a ser realizado na residência do paciente.

Um dos motivos que impulsionou o surgimento do modelo de Home Care no Brasil foi o envelhecimento da população brasileira, ou seja, com a redução do número de nascimentos e com o aumento da expectativa de vida, temos 23 milhões de pessoas idosas no país. E aí surgem os problemas e doenças relacionados com essa população como osteoporose, problemas articulares, ortopédicos e Alzheimer, por exemplo.

Assim, o envelhecimento, quando acompanhado de limitações funcionais, exige cuidados, que podem ter resultados mais positivos se feitos na própria casa do paciente. É importante ressaltar que o serviço de home care é diferente da figura do cuidador, pois o primeiro exige profissionais especializados em diversas áreas para atender o paciente (médico, enfermeiro, nutricionista, fisioterapeuta, fonoaudiólogo), enquanto que o cuidador é responsável pelos cuidados básicos com o mesmo, como auxiliá-lo em sua alimentação, higiene ou fazer-lhe companhia.

Entre as vantagens do home care estão a redução do risco de contrair infecção hospitalar; a facilidade para a família que não precisa se deslocar diariamente ao hospital; o efeito psicológico do paciente que é tratado em casa, favorecendo uma recuperação mais rápida; o próprio hospital que permite uma maior rotatividade de seus leitos, abrindo espaço para pacientes que precisam realmente de cuidados hospitalares, através de UTI’s e cirurgias. Os profissionais envolvidos também tem maior liberdade, já que as visitas domiciliares são agendadas com os familiares, o que permite uma maior flexibilidade de horários.

Segundo material do jornal O Estado de São Paulo, em seis anos o número de estabelecimentos que prestam serviço de home care quase triplicou no país. No boletim econômico da Federação dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (Fehoesp), consta que o Brasil tinha 392 dessas clínicas no ano passado. Em apenas um ano, o crescimento foi de 35% enquanto os outros serviços da saúde tiveram um aumento de apenas 5%.

A fisioterapeuta e diretora acadêmica da Faculdade Inspirar, Dra Sibele Knaut, atribui o crescimento do atendimento em domicílio a uma nova mudança de comportamento. “No âmbito do Home Care, a atenção pode ser executada nos três níveis de atenção à saúde, por profissionais que atuam de forma autônoma ou em equipe multidisciplinar por instituições públicas, privadas ou filantrópicas, entre outras, que ofereçam serviços de atendimento domiciliar. Ou seja, as ações desenvolvidas no domicílio da pessoa, visam a promoção de sua saúde, a prevenção de agravos e a recuperação funcional, além de cuidados paliativos. Além disto, há um novo entendimento sobre a importância da participação social do indivíduo, inclusive na terceira idade. As pessoas hoje em dia são muito mais participativas, e mesmo diante de algumas deficiências ou limitações, desejam manter ou retomar sua independência e autonomia. Desenvolver ações que tenham repercussão nas atividades e participação social, levando em consideração os fatores pessoais e ambientais, são de suma importância para o sucesso da atuação profissional. E o atendimento a domicílio permite facilmente ajustar os objetivos do atendimento em saúde com a realidade do paciente, exigindo profissionais treinados e qualificados para esse tipo de serviço”, salienta a fisioterapeuta.

Treinamento e capacitação do profissional da saúde, inclusive, é um dos pilares da Inspirar. A unidade de São Paulo (Vila Mariana), por exemplo, oferta nos dias 22 e 23 de setembro (26h) o curso de extensão Home Care e Abordagens de Terapia do Sono (goo.gl/iVFFRK), com foco na necessidade de dispor de serviços de qualidade para este mercado em pleno crescimento. A mesma unidade também está com matrículas abertas, com início para dia 22 de setembro, para a pós-graduação em Avaliação e Prescrição de Exercícios Físicos para Grupos Especiais, com um direcionamento a quaisquer grupos de indivíduos com patologias e restrições (https://goo.gl/6SQtdU).

Posts relacionados