O que é medicina preditiva e qual sua importância no mundo atual?

7 minutos para ler

Em um mundo cada vez mais conectado, não é por acaso que a inovação tecnológica tem marcado presença em diversos segmentos. A área da saúde é uma das mais impactadas com o desenvolvimento de novas técnicas. Nesse contexto, um tema que vem ganhando espaço é o da medicina preditiva. 

De forma resumida, esse ramo da medicina utiliza a tecnologia da inteligência artificial (IA) com o intuito de identificar doenças antes que seus sintomas apareçam. A ideia é oferecer ao paciente o tratamento adequado de forma antecipada. Para saber mais sobre como funciona, bem como seus benefícios e o impacto na área da saúde, continue a leitura!

O que é medicina preditiva?

Para entender o conceito por trás da medicina preditiva, é importante acompanhar a sua evolução na área da saúde. Os primeiros passos vieram com a medicina curativa, que tinha como principal objetivo monitorar os sintomas e as consequências de uma doença.

Já que prevenir estava fora dos planos, não demorou muito para que um novo conceito ganhasse força: o da medicina preventiva. Como o próprio nome já revela, o foco é na prevenção por meio de cuidados com a saúde, bons hábitos alimentares e higiene pessoal.

Foi a partir daí, impulsionada pelos avanços tecnológicos, que o tema medicina preditiva entrou na pauta. Por meio de técnicas de investigações médicas e biológicas, seu propósito é fazer predições sobre a predisposição genética ao desenvolvimento de determinadas doenças e possibilitar o diagnóstico precoce. 

Como ela funciona?

A medicina preditiva utiliza uma combinação entre inteligência de dados e inteligência artificial. Enquanto a primeira coleta informações do estado de saúde e histórico familiar do paciente, além de hábitos alimentares e prática ou não de exercícios físicos, a segunda tem como propósito analisar o DNA a fim de fazer um mapeamento genético. 

Como forma de medicina integrativa, outra tecnologia que pode ser assimilada à análise é a dos wearable devices (dispositivos vestíveis). Afinal, os gadgets também coletam informações sobre a saúde do paciente, como a frequência cardíaca por exemplo, e enviam de forma automática aos sistemas. 

Assim, por meio de estudos genéticos e da aplicação de inovações tecnológicas, a medicina preditiva poderia antecipar o tratamento, bem como minimizar ou até evitar o aparecimento dos primeiros sintomas. Além disso, outro ponto positivo é a redução das internações, que impactam na vida social/profissional das pessoas.

Qual a importância para os pacientes?

Ao utilizar tantos recursos tecnológicos, o maior ganho para os pacientes é a possibilidade de poder acompanhar a própria saúde em tempo real. Dessa forma, fica muito mais fácil direcionar os hábitos alimentares e a prática de exercícios físicos.

Sem contar que, com um diagnóstico precoce, o tratamento tende a ser mais leve. Afinal, seu objetivo é minimizar ou até mesmo eliminar os sintomas de uma determinada doença. Isso poderia reduzir a necessidade de internações, preservando o convívio social dos pacientes, bem como a qualidade de vida.

Pensando um pouco mais além, a medicina preditiva também pode desempenhar um papel importante no tratamento de doenças autoimunes. Por meio do mapeamento genético e do uso da tecnologia, é possível aplicar correções no DNA.

Quais os benefícios da medicina preditiva para a saúde?

Agora que vimos até onde a medicina preditiva pode ir, entre algumas das possibilidades, o primeiro benefício que podemos listar é o da diminuição da incidência de doenças. O impacto direto disso é na qualidade de vida dos pacientes e na redução de custos com internações, acompanhamento médico, medicamentos e terapias.

É importante destacar também que hoje o foco dos profissionais de saúde é na doença (cura e tratamento). E um dos benefícios da medicina preditiva é mudar esse olhar para a própria saúde de modo a reduzir as chances de desenvolvimento de doenças e contribuir para a qualidade de vida da população. Vamos recapitular todas as vantagens:

  • maior precisão para fazer um diagnóstico precoce e antecipar o tratamento;
  • redução da necessidade de internações, uso de medicamentos ou terapias;
  • integração de informações relevantes para monitorar a saúde do paciente em tempo real, tais como histórico familiar, hábitos alimentares, estilo de vida;
  • mapeamento do genoma com o intuito de propor correções e evitar o desenvolvimento de doenças com predisposição genética;
  • identificação antecipada de novas patologias e mais tempo para estudar a descoberta de novas curas;
  • mais qualidade de vida para os pacientes e menos custos para as organizações.

Com a medicina preditiva e todos os recursos da tecnologia, é muito mais fácil compilar informações relevantes sobre a saúde de cada paciente. Vale lembrar que hoje os dados são base para a tomada de decisões, independentemente da área. 

Quais são suas aplicações?

Já se sabe que as aplicações da medicina preditiva utilizam uma combinação de inteligência de dados e IA, mas como isso funciona na prática? As tecnologias são articuladas a partir de técnicas de investigações médicas e biológicas, além de estudos genéticos. Alguns exemplos de análises em busca de predisposições a doenças incluem:

  • uso de tecidos inteligentes para evitar ações ofensivas;
  • adoção de chips em roupas, calçados ou outros dispositivos vestíveis para monitorar frequência cardíaca, pressão, entre outros dados relevantes para a saúde;
  • coleta de dados, desde histórico familiar até hábitos e estilo de vida;
  • aplicações de inteligência artificial para auxiliar com a análise dos dados e medidas corretivas.

Essas são apenas algumas aplicabilidades práticas da medicina preditiva, que visa preservar a saúde do paciente de forma integral, considerando todos os recursos e dados disponíveis. Como o foco vai além da prevenção, ela também traz otimização de custos para as organizações e de tempo para os pacientes.

Apesar dos benefícios, esse ramo da medicina ainda gera dúvidas, principalmente quando falamos em conceitos religiosos, talvez por envolver interferência direta no genoma humano. Assim como todos os grandes avanços, é uma mudança de paradigma nos cuidados com a saúde e nas possibilidades de tratamento. 

De qualquer forma, a medicina preditiva está aí e vem com o propósito de potencializar o jeito que cuidamos da nossa saúde. Com o apoio de tecnologia de ponta, como o uso de dados e a inteligência artificial, ela foi criada para oferecer a chance de diagnóstico precoce e um tratamento mais adequado a fim de evitar o surgimento de doenças e de proporcionar mais qualidade de vida aos pacientes.

Gostaria de saber mais sobre os avanços na área da saúde? Então, veja como a medicina nuclear pode ajudar no tratamento do câncer de próstata!

Posts relacionados

Deixe um comentário