Novas Concessões Aeroportuárias em período pós pandemia

5 minutos para ler

por: Rafael Barros*

Há quase 6 meses estamos convivendo com uma dura realidade, acredito que jamais vista ou prevista pelo setor de aviação no Brasil e no mundo, pois os diversos lockdowns impostos por diversos governos ao redor do mundo fizeram com que o nº de voos fossem reduzidos em quase sua totalidade, especialmente aqui no Brasil, pois tivemos uma queda gigantesca de 93% da movimentação em voos nacionais e 98% do movimento em voos internacionais, quando comparados com o ano de 2019 em território nacional.

Acredito que por encontrarmos em nosso país um cenário bastante atípico em termos de Matriz de Transporte de Carga no setor Aeroportuário, onde a participação deste modal chega a pífios 0,4%, uma quebra brusca na movimentação de passageiros como citamos gerou muitas incertezas e instabilidades.

Porém, sabemos que o Governo Federal, através do Ministério da Infraestrutura, vem trabalhando assiduamente para a liberação de novos leilões de concessões de aeroportos no país em 2020, dando continuidade ao que fora iniciado em 2019, onde os leilões de 12 aeroportos arrecadaram R$ 2,4 bilhões, com investimentos previstos de R$ 4,2 bilhões durante a concessão, conforme imagem abaixo:

Para este ano de 2020, antes da pandemia, o Governo havia feito uma previsão de lançar em novos leilões outros 22 aeroportos, com expectativa de arrecadação em torno de R$ 5,0 bilhões e estimativa de investimentos totais de R$ 6,7 bilhões ao longo das concessões. Porém, esses projetos precisaram ser revistos e a tendência é de que o desembolso por parte dos novos operadores seja menor, mas ainda não se tem um estudo lançado ao mercado com estes “prováveis” novos valores. O leilão estava programado para acontecer no segundo semestre deste ano, porém, o novo certame acabou sendo reprogramado para o mês de março de 2021.

Além de a crise ter afetado o fluxo atual dos aeroportos – que encolheu mais de 90%, a pandemia também mexeu com essa curva de demanda. Quando foram inicialmente projetadas, os estudos tinham como base um crescimento da economia brasileira de 2,7% neste ano e de 2,6% para 2021. O número mais recente do Ministério da Economia mostra uma inversão brusca, com uma queda de 4,7% do PIB neste ano.

Mesmo com notícias não muito animadores, temos motivos para acreditar no crescimento dos investimentos no setor aeroportuário para os próximos anos, fato este que demandará cada vez mais mão de obra especializada para as empresas privadas, vencedoras dos novos leilões, a ponto de que se tenha total capacidade de gerar o retorno esperado pelo Governo Federal quando falamos dos investimentos bilionários que deverão ser feito nos 22 aeroportos previstos para serem entregues à iniciativa privada. Assim sendo, e pensando em abastecer o mercado com cursos de capacitação e gestão voltados para o setor Aeroportuário, criamos o curso de pós-graduação lato sensu de Especialização em Gestão Aeroportuária e Segurança Operacional, em parceria com a Faculdade Inspirar, previsto para ser lançado em novembro deste ano.

O curso de Especialização em Gestão Aeroportuária e Segurança Operacional foi criado para suprir uma necessidade existente no mercado de trabalho atual, sem que se encontre uma mão de obra moderna, atualizada e qualificada com a devida expertise no setor aeroportuário, se tratarmos o quesito técnico de desenvolvimento em campo, assim como de gestão estratégica, que seja capaz de desenvolver com excelência e agilidade os projetos necessários para o desenvolvimento do setor, bem como promover uma qualificada gestão das obras durante a etapa de implantação dos novos investimentos que serão feitos como obrigatórios após a finalização dos leilões.

É nítida a carência de profissionais gabaritados, que estejam aptos a assumirem grandes desafios e serem capazes de pensar estrategicamente na busca de soluções para anomalias com múltiplas variáveis e com alto nível de complexidade, fazendo com que a qualificação técnica seja considerada de suma importância para fomentar as inúmeras vagas que serão criadas nas grandes empresas nos próximos anos no país, visando a melhoria da situação atual das estruturas aeroportuárias, bem como solucionar os problemas econômicos do país e elevar a participação do setor na economia nacional, seja no transporte de carga como no transporte de passageiro.

Nosso curso foi montado pensando em entregar um ensinamento robusto e qualificado, através das nossas disciplinas, para os profissionais que atuam nas áreas da Aviação Civil ou Ciências Aeronáuticas, Engenharia (Civil, Mecânica, Elétrica, Ambiental, Segurança do Trabalho, Produção, dentre outras), Transportes, Logística, Direito, Administração e Economia.

*Rafael Barros é engenheiro, especialista em Infraestrutura de Transporte e coordenador da pós-graduação de Gestão Aeroportuária e Segurança Operacional.

Posts relacionados

Deixe um comentário