Saiba agora qual pós-graduação em enfermagem é a sua cara

17 minutos para ler

Ter uma carreira de sucesso exige uma educação contínua, preocupando-se sempre com a atualização dos conhecimentos. Como você deve imaginar, a realidade não é diferente no caso da enfermagem.

A profissão de enfermeiro tem ganhado mais relevância nos últimos anos e uma série de oportunidades promete surgir com o desenvolvimento da medicina e o envelhecimento natural da população.

Se você já percebeu as mudanças e quer se capacitar para esse cenário, conheça hoje a pós-graduação em enfermagem que é a sua cara.

Você vai se impressionar com as diversas possibilidades de especialização e como elas podem te ajudar a conquistar uma carreira vitoriosa. Vamos lá?

1. A importância da especialização
Quando consideramos o cenário do mercado de trabalho hoje, não é necessário falar como ele é cada vez mais “agressivo”, não é mesmo? Palavras como competitividade e acirramento já viraram praticamente clichês, tamanho é o uso delas no mundo profissional.

Reparando esses aspectos, você provavelmente já percebeu que o mundo mudou muito e, com todas essas alterações, a graduação deixou de ser um diferencial. Por mais importante que ela seja, ela representa apenas um primeiro passo. A pior ilusão que um profissional pode ter nos dias de hoje é considerar que ela é suficiente, caindo na tão falada “zona de conforto”.

Hoje, a graduação tornou-se praticamente uma obrigatoriedade para quem quer galgar cargos mais altos na carreira e conquistar reconhecimento. Entretanto, como falamos, a trajetória não termina aí.

Seguindo esse cenário de mudanças, a pós-graduação se firmou como uma ótima forma de continuar se capacitando e especializando, estando mais preparado para as oportunidades que surgirem com o passar do tempo.

Continuar estudando é uma maneira de se tornar protagonista da sua vida. Pense que uma especialização pode direcionar sua carreira para uma área específica, aprofundar seus conhecimentos em uma área de interesse e ainda aumentar seu networking. Afinal de contas, é a oportunidade de conviver com profissionais inseridos na mesma área de atuação. Ou seja, uma oportunidade fantástica!

Com tantos benefícios assim, uma oportunidade como essa não deve passar despercebida, concorda?

2. O que é a Enfermagem Forense?
A primeira opção dentre as diversas especializações em enfermagem que vamos tratar hoje é a Forense. Embora ainda não seja muito comum no Brasil, a área já se desenvolveu muito em países como Estados Unidos, Portugal e Japão (e promete chegar com força por aqui nos próximos anos).

A área cresceu e começou a atingir uma visibilidade maior por tratar de situações parecidas com os seriados de ficção, principalmente aqueles que envolvem uma investigação profunda e casos de perícia.

Como esse aspecto desperta a curiosidade de muitas pessoas, foi o suficiente para a área “bombar”. A investigação e os objetos usados são fundamentais para solucionar crimes e envolve uma alta complexidade, envolvendo muito cuidado e pesquisas minuciosas.

Como você deve estar imaginando, esse tipo de especialização acontece de forma combinada, aliando a área de enfermagem com as questões judiciais, ou seja, os aspectos forenses. Para quem não sabe, o termo “Forense” tem uma relação com os tribunais ou o direito.

A atuação é tão importante que o enfermeiro também pode ser acionado para depor em julgamentos ou prestar outros esclarecimentos, pois é uma testemunha especializada.

Além disso, o profissional pode acompanhar outros casos, como violência, estupro e outras suspeitas. Nesse caso, o enfermeiro encaminha os pacientes para serviços especiais, tratamento médico ou o que mais for necessário.

Embora não seja muito comum no Brasil, o Conselho Federal de Enfermagem já reconhece essa área de atuação desde 2011, ou seja, um tempo considerável.

A atuação

Imagine os enfermeiros envolvidos nesse tipo de situação. A área de atuação deve ser simplesmente incrível, não é? Isso se você é do tipo de pessoa que gostaria de se envolver com esses aspectos, claro. Afinal de contas, a afinidade pode variar muito de perfil para perfil.
Entenda melhor como funciona…

Nesse caso, os enfermeiros são os responsáveis por prestar assistência de forma especializada, além de ajudar os pacientes a lidarem com os traumas físicos, sociais e até psicológicos.

E não é só isso: como falamos, eles também devem dominar o conhecimento jurídico, mesmo que superficialmente, pois atuam recolhendo provas, prestando depoimentos e funcionando como um verdadeiro elo de ligação entre a legislação e a saúde.

O enfermeiro forense tem um papel bem peculiar e distinto do que a maioria das pessoas é acostumada a associar. Considerando um cenário de investigação clínica de morte, ele é o responsável por coletar evidências no corpo da vítima e no ambiente. Tudo isso buscando sinais que possam indicar a causa da morte e como ela se deu.

E tem mais: os enfermeiros forenses também podem atuar com um perfil psiquiátrico. Nesse caso, trabalham diretamente com as vítimas, os agressores e as famílias de cada lado.

A pós-graduação ainda não existe em muitas universidades pelo Brasil, mas aborda pontos como a violência sexual, a investigação clínica da morte e um panorama geral sobre as áreas forenses.

3. Especialização em dermatologia
A área de estética é hoje um dos mercados mais promissores do mundo, afinal de contas, as pessoas são profundamente ligadas à aparência e à beleza. Por isso, os profissionais das mais diversas áreas de atuação estão buscando algum tipo de especialização nesse sentido.

São médicos, biomédicos e, agora, os enfermeiros também. No caso dos últimos, como ainda não viram muitos desses detalhes na graduação, precisam optar por uma especialização para adquirirem esses conhecimentos e começarem a trabalhar de forma mais específica. E não é brincadeira, já que os pacientes são muito exigentes e a fiscalização fica de olho.

Considerando a dermatologia, o enfermeiro pode atuar de uma maneira bem diferente das que aprendeu durante a faculdade, abrindo novos horizontes.

O curso

Não precisamos nem falar que os cursos com um perfil mais superficial podem não adiantar muito, não é mesmo? Principalmente se você é do tipo de pessoa que quer oferecer um serviço de alta qualidade.

Entretanto, depois de completar a pós-graduação em enfermagem dermatológica, você passa a ser reconhecido e respeitado, pois passa a ser um especialista nessa área de atuação.

Durante o curso, você aprende sobre as mais diversas doenças de pele, tratamentos e outros detalhes dermatológicos. Assim os profissionais acabam expandindo seus conhecimentos e ampliando a área de atuação.

A função

O enfermeiro dermatologista é um especialista em pacientes que tenham afecção cutânea, auxiliando o tratamento e acompanhando eventuais necessidades.

Para isso, ele desenvolve uma investigação científica durante a pós-graduação, para só depois atuar na prevenção, tratamento e reabilitação de possíveis alterações de pele. Nesse caso, podem ser alterações mucosas, patologias, doenças autoimunes, congênitas ou até mesmo estéticas. Ou seja, uma grande área de atuação.

Como você deve imaginar, os conhecimentos sobre a pele e os mecanismos de preservação e recuperação compõem o campo que pode ser um dos mais promissores da enfermagem.

Para ter resultados ainda melhores, o profissional deve estar sempre antenado sobre os produtos e tratamentos que interessem aos seus pacientes. Assim, conseguem oferecer um tratamento mais completo e atualizado — o que pode ser um grande diferencial.

Além disso, você precisa aliar um bom procedimento técnico a um atendimento de excelência. Mexer com a dermatologia envolve um cuidado incrível com o paciente, então é bom se preocupar com as necessidades de cada um deles. Um atendimento especializado e cuidadoso abre muitas portas.

4. Enfermagem neonatal e pediátrica
Seguindo os diversos tipos de pós-graduação em enfermagem, não poderíamos deixar de falar da enfermagem neonatal e pediátrica. Nessa especialidade, os enfermeiros se capacitam para prestar um cuidado especial às crianças e pais, considerando as diversas situações antes, durante e depois da chegada de um bebê.

Convenhamos: a vida muda completamente nesse momento e contar com a ajuda de um profissional pode ajudar muito, não é?

Enfermagem pediátrica

Essa função ganhou ainda mais relevância nos últimos anos, principalmente considerando o crescimento dos partos humanizados e naturais. Os enfermeiros ajudam muito nessa hora, tranquilizando e oferecendo o suporte necessário para as mães e a família de uma forma geral.

Entretanto, engana-se que a atuação se restringe a esse momento. Eles também podem ajudar muito depois. O enfermeiro pode auxiliar no papel dos pais, ensinando-os e direcionando-os nessa nova etapa da vida. Algumas vezes, a assistência é tão profunda que até passa a ser domiciliar, acompanhando os primeiros meses do pequeno.

E o acompanhamento pode seguir até a criança completar 18 anos, ou seja, um longo período de cuidados.

Enfermagem neonatal

A enfermagem neonatal tem um foco bem parecido, pois também trata de forma especializada com as crianças e as famílias. Entretanto, nesse caso, o enfermeiro trabalha acompanhando o desenvolvimento dos bebês, principalmente os recém-nascidos.

Eles participam da estrutura da unidade neonatal e da racionalização do trabalho, dando o suporte necessário depois do nascimento da criança. Imagine-se tendo um recém-nascido prematuro — a situação não é das mais confortáveis, não é mesmo?

Nesse caso, a melhor opção é contar com uma equipe devidamente preparada e treinada para dar apoio às Unidades de Terapia Intensiva Neonatal. Assim, a criança recebe um tratamento mais especializado e os pais ficam mais tranquilos e seguros.

Um enfermeiro especializado pode ajudar muito nesse sentido, sendo de grande ajuda para os pais e os próprios bebês, promovendo um desenvolvimento seguro e criando um cenário ideal para seu crescimento.

5. Enfermagem cirúrgica
É bem provável que a enfermagem cirúrgica seja a forma de atuação mais comum nos nossos dias. Quando pensam em enfermeiros, muitas pessoas logo associam a atuação com o suporte fundamental que eles oferecem durante as cirurgias.

Nesse caso, o enfermeiro se especializa para atender as necessidades da equipe cirúrgica, desdobrando o trabalho médico e ajudando no desenvolvimento das mais diversas cirurgias. Ele é um verdadeiro ajudador, preparando os materiais, verificando o cumprimento de metas e tudo mais necessário na sala de operação, atuando antes, durante e depois da cirurgia.

O curso

O objetivo do curso de especialização na enfermagem cirúrgica é prestar assistência integral aos médicos e pacientes, sejam eles adultos e/ou idosos. Eles podem estar hospitalizados em unidades de internação clínica e/ou cirúrgica, desde que elas tenham a estrutura necessária para as cirurgias.

A pós-graduação nesse ramo faz com que os enfermeiros desenvolvam o nível de pesquisa e de atuação. Dessa forma, eles conseguem aliar o conhecimento com a prática, tendo uma atuação mais integrada e assertiva.

A atuação

O trabalho integrado entre médicos e enfermeiros foi a forma mais eficiente de fazer com que os centros cirúrgicos pudessem usar cada vez mais a alta tecnologia, conseguindo realizar cirurgias mais sofisticadas. Sem esse “braço direito”, o médico acabava tendo que mobilizar muitas funções, tendo seu papel bem restrito e limitado.

Foi depois da atuação integrada com os enfermeiros cirúrgicos que os primeiros transplantes começaram a ser feitos, um avanço significativo e que beneficiou toda população.

Além disso, esse tipo de atuação foi o responsável por diminuir o risco cirúrgico e fazer com que as pessoas passassem a ser operadas com mais segurança.

6. Especialização em nefrologia
Como você pode perceber, a atuação da enfermagem pode ser bem mais ampla que a maioria das pessoas imagina. No caso da nefrologia, eles devem estar preparados para um tempo de muita dedicação e um preparo rigoroso.

Como trata de aspectos bem completos, o cuidado deve ser redobrado e o enfermeiro deve estar ligado a todo tempo.

A atuação

Nessa especialização, o enfermeiro atua de forma mais direta em tratamentos de hemodiálise, transplantes e diálise peritoneal. Assim como em outras especialidades que já citamos aqui, o trabalho não é para amadores, concorda? Muito pelo contrário, exige muito preparo.

O enfermeiro tem um papel na linha de frente nesses tipos de problemas, pois eles demandam muito apoio e técnica. Além de todo o problema físico, existe também o abalo psicológico. Com um desgaste da saúde, muitos dos pacientes acabam ficando sem vontade de viver e, justamente por isso, a equipe de enfermagem deve estar muito preparada, oferecendo todo suporte necessário.

Como os problemas são recorrentes, os pacientes não têm uma rotação tão alta, tornando-se conhecidos (e muitas vezes até amigos) da equipe. Então, é muito importante desenvolver um bom relacionamento, pois o tratamento pode se estender por muitos anos.

E não é para menos, já que eles são mais elaborados e demandam mais tempo mesmo. Para entender melhor, pense um pouco no caso de um transplante. Nesse caso, o papel dos enfermeiros começa bem antes da cirurgia em si, tranquilizando os pacientes na batalha de conseguir um órgão.

Depois disso, trabalham de forma intensiva durante a cirurgia. Mesmo depois que tudo correu da melhor forma possível (ou seja, o órgão foi compatível e a cirurgia foi um sucesso), o paciente precisa continuar sendo acompanhado. Ele continua sendo assistido pela equipe de enfermagem para que o processo seja completo.

O curso

A aula de pós-graduação também é muito completa no nível de especialização. Durante esse tempo, o profissional tem um grande embasamento teórico e ainda conta com oportunidades de acompanhamentos práticos.

Essa é uma forma eficiente de fazer com que ele desenvolva um perfil mais humano, principalmente considerando as grandes dificuldades que o paciente passa.

7. Enfermagem Geriátrica e em Gerontologia
Outro ponto que é uma realidade mundial é o envelhecimento da população. Essa mudança na pirâmide populacional também abriu uma nova área de atuação para os enfermeiros: o foco na geriatria, ou seja, o tratamento e acompanhamento de pacientes idosos.

Nesse caso, a especialização capacita os enfermeiros a compreender o processo natural do envelhecimento, considerando a história e a fisiologia humana. Assim, eles conseguem atuar de forma mais completa e humana com esse público (que, convenhamos, precisa mesmo de atenção e cuidados especiais).

Essa é uma área que costuma pagar muito bem, principalmente porque às vezes acaba envolvendo a família e outras pessoas preocupadas com a saúde do idoso. Eles acabam se mobilizando e garantindo o acompanhamento de um enfermeiro.

Vale lembrar que o profissional especializado tem uma grande área de atuação. Ele pode trabalhar em hospitais, residências e casas de apoio a idosos e como educador e consultor.

A função

Nesse caso, o enfermeiro pode desenvolver funções bem variadas, pois depende muito do cuidado que o paciente exige. Ele pode aplicar medicamentos, fazer com que ele receba todo o auxilia e cuidado necessário e direcionar outros cuidadores sobre detalhes como banho, rotina, etc.

8. Enfermagem oncológica
É claro que o acompanhamento de um enfermeiro não é simples em nenhuma das áreas de atuação que já compartilhamos aqui, mas talvez a enfermagem oncológica esteja entre as mais complexas.

O número de casos de câncer tem crescido no Brasil e em todo mundo, acompanhando uma tendência global. O problema é hoje um dos mais difíceis e chama a atenção de qualquer um, já que mais de 12 milhões de pessoas são diagnosticadas com tumor ao redor do mundo a cada novo ano. Impressionante, concorda?

E não é só isso. Vale lembrar que muitas pessoas ainda morrem por causa do câncer, fazendo com que muitos pacientes fiquem inseguros e até um pouco desesperados com a descoberta do tumor. A tarefa de dar a notícia e iniciar o tratamento não é anda fácil!

A verdade é que houveram muitos avanços nos últimos anos, tanto no diagnóstico quanto nos meios de tratamento, mas, ainda assim, um acompanhamento profissional pode fazer toda diferença.

É por isso que um enfermeiro qualificado e devidamente preparado pode ser um diferencial e tanto! Afinal de contas, a mudança de vida e de direcionamento faz com que o paciente precise de um apoio seguro da família, amigos e equipe profissional. Esse ponto pode determinar a força que ele terá para lutar e vencer a doença.

Nada mais natural, já que ele passa por fortes efeitos colaterais, mudando sua rotina e qualidade de vida. Tudo isso ainda somado aos sentimentos de medo e incerteza da cura. Convenhamos: não é nada fácil!

O curso

Um time de enfermeiros técnico, devidamente preparado e humano, pode ser um grande diferencial. Afinal de contas, eles podem promover as ações necessárias para animar, restabelecer a saúde em partes e minimizar os sofrimentos desse momento.

Por isso, durante a especialização, os enfermeiros oncológicos tratam e estudam muito sobre os sinais e sintomas do câncer, os diversos tipos de tratamento, quais deles são indicados para cada caso e quais efeitos colaterais eles podem causar.

E mais: eles também aprendem que tipo de cuidados eles podem prestar para amenizar as dificuldades desse momento, seja no sentido de prevenção, de tratamento ou de reabilitação do paciente.

Essa é uma forma de agregar muito valor ao atendimento, aumentando a eficiência no atendimento e fazendo com que o paciente se sinta mais seguro e tranquilo.

A função

Nesse caso, os enfermeiros são preparados e responsáveis pelo planejamento e execução do tratamento. Muitas vezes, são eles os responsáveis pela aplicação da quimioterapia, o acompanhamento, a dosagem dos remédios, atitudes paliativas e muitas outras funções.

Além disso, ele trabalha com uma grande interface com o médico, avaliando os sinais do paciente, grau de toxidade, desenvolvimento da quimioterapia e os vários ciclos do tratamento.

O enfermeiro acaba se firmando como uma forte referência para o paciente e família, o que é ótimo. Dessa maneira, eles percebem o suporte e ficam na certeza que estão recebendo o melhor tratamento disponível.

9. Enfermagem em Cardiologia
Como você já deve ter percebido, o enfermeiro pode se especializar mais ou menos no mesmo sentido que os médicos, prestando um auxílio e acompanhamento mais completo.

No caso da especialização em Cardiologia, ele oferece suporte para os pacientes que necessitam de cuidados nessa área. Além disso, ele também pode gerenciar o serviço, fazer intervenções e até mesmo realizar pesquisas científicas.

O curso

O objetivo da pós-graduação é oferecer conhecimento técnico e experiência profissional nesse setor, fazendo com que o aluno consiga organizar, orientar, agir e até supervisionar as tarefas nesse sentido.

Para isso, ele desenvolve um estudo específico e completo da anatomia cardiovascular, as principais Síndromes Coronarianas, as Emergências Cardiovasculares e diversos outros detalhes. Ou seja, um panorama completo sobre a área de atuação.

10. Conclusão
Depois de conhecer de forma um pouco mais aprofundada sobre as diversas especializações existentes, você certamente consegue encontrar uma pós-graduação em enfermagem que seja a sua cara. Não deixe de se especializar e garantir um conhecimento mais profundo e elaborado sobre uma área de atuação do seu interesse.

Fonte: Blog I de cursos

Posts relacionados