A importância do protetor solar – Qual fator é melhor? FPS 30 ou 50?

É sempre a mesma coisa: quando chega o verão o que mais vemos são matérias na televisão dizendo sobre a importância de usar protetor solar. Ainda assim, o uso diário do proteror não faz parte da rotina da maioria dos brasileiros.

 

Muitos amam o sol e o calor, mas ele pode causar danos à nossa pele, sendo de extrema importância o uso do protetor solar. A falta da proteção pode gerar no futuro um câncer de pele.

 

A exposição ao sol sem protetor pode sim ser benéfica, pois estimula a circulação sanguínea e sintetiza a vitamina D, que reforça o sistema imunológico, protege os ossos e evita problemas cardiovasculares. Mas, segundo o endocrinologista americano Michael Holick, considerado a maior autoridade sobre vitamina D da atualidade, o tempo médio para pegar um sol sem danificar a pele é de 15 a 20 minutos sem protetor solar no corpo. Já no rosto ele é considerado indispensável!

 

Mas qual escolher?

 

Geralmente esse momento é muito pessoal, o que pode ficar confortável em uma pessoa pode não ser a melhor opção para outra. E há ainda uma infinidade de opções com protetor em gel, creme, sprays, etc. Mas a partir de noções básicas, poderemos facilitar essa escolha.

As dúvidas começam pelo FPS (Fator de Proteção Solar) que geralmente é associado ao “poder” do protetor: quanto maior o FPS, mais potente ele é.

Mas isso é um mito: esse número indica o tempo em que é possível ficar exposto ao sol sem apresentar vermelhidão. Ou seja, diz respeito à durabilidade, que pode variar para cada um. Por exemplo, um filtro solar com FPS 50 vai conseguir aumentar o período sem vermelhidão 50 vezes mais, então se uma pessoa fica vermelha em cinco minutos, ela irá demorar 250 minutos para atingir tal estágio. Por isso é importante reaplicá-lo.

Assim, quanto maior o fator FPS, maior é o intervalo necessário para passar novamente o protetor.

 

Raios UVA/UVB

 

Os raios emitidos pelo sol são: UVA e UVB. A radiação UVA está presente durante todo o dia, ela sempre está ali, mesmo em dias frios e nublados. Os raios UVA conseguem penetrar mais profundamente na pele, podendo causar câncer de pele, além de danos estéticos, como a aparência de uma pele mais envelhecida.

Já os raios UVB estão presentes nos raios solares mais fortes, entre as 10h e 16h. Também sendo muito prejudicial por causa das queimaduras que as pessoas podem sofrer. Em resumo: raios UVA estão associados ao câncer de pele, raios UVB estão associados às queimaduras.

 

E a Luz Azul?

 

Essa é uma nova preocupação das marcas. A Luz Azul é uma luz visível: é toda luminosidade que a nossa retina absorve e chamamos de luz. Assim como as radiações UVA e UBV, ela é proveniente do sol, mas também das telas de nossos aparelhos eletrônicos.

A luz azul, por ser uma radiação de alta energia e baixa absorção na pele, pode acabar causando manchas na pele, além do envelhecimento precoce. Por isso, é imprescindível reforçar a importância de proteger a pele até em momentos que não tenham a presença do sol.

Veja Mais

QUESTIONAMOS O CONHECIDO

Acreditamos que a aprendizagem pode ser diferente, pode ser melhor. É isso que nos impulsiona a quebrar barreiras e oferecer uma experiência de aprendizagem única.

Aqui, provocamos o potencial das pessoas para elas se prepararem para conquistar o novo, transformar o desconhecido em conhecimento e estimular a construção de um mundo melhor.

Afinal, é isso que nos faz ser uma Faculdade à frente do nosso tempo.

Quer mais informações?

0800 602 2828