PNPIC do SUS

3 minutos para ler

Práticas Integrativas e Complementares no Sistema Único de Saúde

As Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) são recursos terapêuticos que buscam a prevenção de doenças e a recuperação da saúde, com ênfase na escuta acolhedora, no desenvolvimento do vínculo terapêutico e na integração do ser humano com o meio ambiente e a sociedade, através de tratamentos baseados em conhecimentos tradicionais, complementando as terapias convencionais, ajudando a restaurar o equilíbrio físico, mental, emocional e espiritual.

Considerando o número de 29 técnicas diferentes já reconhecidas no Sistema Único de Saúde (SUS) a aplicação dependerá do recurso a ser utilizado conforme a necessidade do paciente e o entendimento da melhor abordagem por parte do terapeuta mediante o problema apresentado.

As práticas integrativas e complementares em saúde contribuem para o fortalecimento dos sistemas de saúde pública e privada ao atuar nos campos da prevenção, promoção, manutenção e recuperação da saúde, sendo baseadas em um modelo de atenção humanizada e centradas na integralidade do indivíduo, priorizando a qualidade de vida.

Evidências científicas têm mostrado os benefícios do tratamento integrado entre medicina convencional e práticas integrativas e complementares. Além disso há um crescente número de profissionais capacitados e habilitados, além de maior valorização dos conhecimentos tradicionais de onde se originam grande parte dessas práticas. Elas não substituem o tratamento tradicional – são um adicional, um complemento no tratamento e indicadas por profissionais específicos conforme as necessidades de cada caso.

O Brasil é referência mundial na área de práticas integrativas e complementares na atenção básica. É uma modalidade que investe em prevenção e promoção à saúde com o objetivo de evitar que as pessoas fiquem doentes.

0E, quando necessário, as PICS também podem ser usadas para aliviar sintomas e tratar pessoas que já estão com algum tipo de enfermidade.

Em virtude da crescente demanda da população brasileira, o Ministério da Saúde aprovou a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no SUS, contemplando as áreas de homeopatia, plantas medicinais e fitoterapia, medicina tradicional chinesa/acupuntura, medicina antroposófica e termalismo social – crenoterapia, promovendo a institucionalização destas práticas no Sistema Único de Saúde.

A Faculdade Inspirar oferece um curso de Pós-graduação em Práticas Integrativas e Complementares. A especialização proporciona o conhecimento teórico e prático de recursos terapêuticos presentes na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PNPICS) ofertadas pelo SUS, com atividades que possibilitarão ao profissional, ao final do módulo, colocar em prática os conhecimentos desenvolvidos.

O curso foi elaborado procurando ofertar recursos terapêuticos que demandem, por parte do profissional, pouquíssimo investimento para aplicação do conhecimento desenvolvido. “Seja no ambiente particular (clínica, hospital) ou no público, o profissional poderá colocar em prática imediatamente o que aprendeu no módulo realizado”, salienta Reinaldo Gonçalves, coordenador da Pós-graduação em Práticas Integrativas e Complementares da Faculdade Inspirar

Posts relacionados