fisioterapeuta autônomo fisioterapeuta autônomo

Como ter sucesso sendo um fisioterapeuta autônomo?

6 minutos para ler

Entender como é ser um fisioterapeuta autônomo e quais as principais vantagens e desafios que envolvem essa prática profissional ajuda bastante na hora de decidir pela pós-graduação em Fisioterapia.

Igualmente relevante é saber a diferença entre ser um fisioterapeuta autônomo e um profissional liberal, já que há muitas implicações que variam conforme o tipo de exercício dessa profissão.

Nessa perspectiva, vamos abordar quais são as vantagens de ser um profissional autônomo, os principais desafios enfrentados e a necessidade de atuar como profissional liberal.

Além disso, você vai saber por que investir em uma especialização nesse ramo é tão essencial para o seu sucesso na profissão. Acompanhe a leitura! 

Fisioterapeuta autônomo ou profissional liberal?

Atualmente há muitos profissionais da fisioterapia que trabalham por conta própria e, consequentemente, podem usufruir de horários mais flexíveis e de mais liberdade. Comparado com os trabalhadores que seguem uma jornada fixa, essa independência pode ser uma grande vantagem.

Porém, vale ressaltar que a qualificação de profissional autônomo pode ser atribuída a qualquer indivíduo, com uma formação profissional específica ou não, que exerce atividades profissionais por conta própria. Por isso é necessário entender a diferença entre profissional autônomo e liberal.

Pode-se dizer que todo profissional liberal é considerado um autônomo, mas nem todo trabalhador autônomo pode ser classificado como profissional liberal. Para que uma pessoa seja considerada profissional liberal, ela precisa ter formação técnica ou superior compatível com a profissão, além de ser registrada em um conselho profissional de sua classe.

Isso ajuda a entender por que tantos profissionais autônomos atuam de modo independente em determinados setores, mesmo sem terem uma formação específica na área. As regras de atuação na saúde são diferentes, já que o exercício ilegal da profissão é considerado crime. Assim, no ramo da fisioterapia, é necessário uma formação acadêmica para exercer atividades profissionais. 

Diante disso, todo fisioterapeuta que atua como autônomo é, portanto, classificado como um profissional liberal. Para atuar como fisioterapeuta, é necessário ser devidamente formado e inscrito nos conselhos regionais e federais para exercer as atividades dessa classe.

Após a graduação, o profissional se habilita no Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (CREFITO), assim como no Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO). Estar em dia com os registros de classe é um dever de todo profissional que almeja o exercício pleno e legal de sua profissão.

Quais são os principais desafios para o fisioterapeuta autônomo?

O trabalho autônomo pode trazer alguns pontos negativos quando comparado com o sistema de trabalho amparado pela CLT, o de carteira assinada. Na condição de autônomo, o profissional não tem direito de receber férias, FGTS ou 13º salário, por exemplo. Além disso, precisa enfrentar períodos de sazonalidade em que a demanda pelos serviços fica bastante reduzida, o que afeta a sua renda.

Há ainda outros desafios inseridos na rotina do profissional autônomo: é necessário ter conhecimento em diferentes áreas como administração, contabilidade, gestão de pessoas e marketing. Isso porque o profissional autônomo precisa saber lidar com todo o processo que envolve a formalização da sua prestação de serviço, dos recebimentos, assim como dos acordos com clientes e parceiros.

Quais são as vantagens de ser um profissional autônomo?

Entre as principais vantagens em trabalhar de forma autônoma destacam-se a flexibilidade de horário, a liberdade nos processos e métodos de tratamentos e a escolha do espaço para trabalhar.

Tais benefícios impulsionam o sonho de muitos profissionais da saúde em conquistarem a autonomia. Ter liberdade para trabalhar onde e quando quiser, não precisar bater cartão de ponto ou fazer horas extras são os objetivos perseguidos pelos profissionais autônomos. 

Os fisioterapeutas que atuam dessa forma apontam como principal vantagem do trabalho o fato de poder ser o seu próprio chefe. Isto é, ter plena autonomia para executar as suas atividades e funções, definir sua própria metodologia de intervenção terapêutica e ainda ter a liberdade de escolher os seus pacientes.

Logo, ter a oportunidade de coordenar a sua própria rotina e estabelecer sua metodologia de trabalho são fatores que abrem possibilidades para uma série de vantagens. Como resultado, surgem outros importantes benefícios, como ter mais tempo para cuidar da sua própria saúde, passar mais momentos com a sua família, poder voltar a estudar e se especializar, trabalhar em projetos voluntários, viajar e conhecer novas pessoas.

Mas os benefícios do trabalho autônomo não se limitam a isso. Confira mais alguns a seguir.

Oportunidade de trabalhar com o que você realmente ama

Não é incomum que alguns profissionais só se deem conta de qual é a sua verdadeira paixão ou dom depois de anos se dedicando a alguma área totalmente diferente. Porém, o profissional que decide pelo trabalho autônomo tem, desde cedo, a chance de se dedicar a uma profissão que o tornará realizado e feliz.

Opção de horários alternativos

Os profissionais da fisioterapia podem ofertar os seus serviços em horários alternativos. Isso facilita o atendimento de pacientes que trabalham e que, por exemplo, só teriam disponibilidade de horário à noite. Outra vantagem é que o fisioterapeuta pode montar a sua grade horária conforme o período em que se considera mais produtivo.

Maior possibilidade de viajar para congressos

A participação em congressos é essencial para o profissional se manter atualizado e sempre alinhado às novidades que surgem na sua área. Para o bom exercício da profissão, é necessário acompanhar a evolução dos diagnósticos e tratamentos, bem como as novas formas de lidar com as doenças.

O fisioterapeuta autônomo tem mais liberdade para organizar a agenda e fazer um cronograma mais favorável ao seu desenvolvimento profissional. Otimizar o tempo para participar desses eventos — e de cursos de atualização e de capacitação — é um importante diferencial para a carreira.

Como você pode perceber, atuar como fisioterapeuta autônomo é uma excelente alternativa para quem não quer depender de outras pessoas para desenvolver a profissão e alcançar o sucesso. Vale ressaltar, também, que no trabalho autônomo, justamente pela situação de você ser seu próprio chefe, terá que se adaptar a diferentes responsabilidades.

Se você almeja o crescimento nessa área, conheça os cursos e os diferenciais da Faculdade Inspirar. São excelentes oportunidades de especializações presenciais e a distância para impulsionar sua carreira e garantir o seu futuro.

Quer mais informações sobre sucesso na carreira? Baixe este e-book gratuito sobre as melhores especializações em Fisioterapia!

Posts relacionados

Deixe um comentário